Questões de Urgência e Emergência - Terapia Intensiva - Enfermagem Clínica

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro do Trabalho - Órgão: EBSERH - Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora - HU-UFJF - Banca: AOCP - Ano: 2015

No que se refere à punção de veia jugular é correto afirmar que

 

  • a) compete ao enfermeiro a realização deste procedimento, desde que o profissional seja dotado de habilidade, competência técnica e científica para tal procedimento.
  • b) é um procedimento de rotina permitido a toda equipe de enfermagem, sendo esta a veia de primeira escolha para punção devido ao seu grosso calibre.
  • c) trata-se de um procedimento exclusivamente médico, sendo proibido a qualquer membro da equipe de enfermagem, sob risco de exercício ilegal da medicina.
  • d) compete ao enfermeiro e ao técnico de enfermagem devidamente treinado para tal procedimento uma vez que não há quaisquer riscos ao paciente neste procedimento.
  • e) A veia jugular não pode ser puncionada, independente das condições em que se encontre o paciente, cabendo processo ético a todo aquele que realizar tal procedimento.

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro do Trabalho - Órgão: EBSERH - Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora - HU-UFJF - Banca: AOCP - Ano: 2015

Paciente sexo masculino, 45 anos, chega ao pronto atendimento com dor torácica intensa, tipo queimação de início súbito há 20 minutos. No momento, com pressão arterial 160/100 mmHg; frequência cardíaca 93 bpm; temperatura 36,6°C, sudoreico com cianose de extremidades. Na classificação de risco, esse paciente deve ser classificado como

 

  • a) verde, pois está taquicárdico e ansioso, embora afebril e normotenso.
  • b) azul, pois está afebril e normotenso.Tratandose de um quadro crônico de dor que poderia ser atendida eletivamente.
  • c) amarelo, pois não há alteração de sinais vitais e a dor torácica é o único sinal de alarme.
  • d) verde, pois seus níveis pressóricos estão pouco alterados, apesar da dor torácica, cianose e febre.
  • e) vermelho, pois apresenta dor torácica de início súbito acompanhada por sudorese, cianose e alteração de níveis pressóricos.

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro do Trabalho - Órgão: EBSERH - Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora - HU-UFJF - Banca: AOCP - Ano: 2015

A correta manipulação do dreno de tórax pode acarretar ao paciente uma série de complicações que podem resultar em aumento da morbidade, prolongamento da hospitalização e, em alguns casos, a morte. É um cuidado adequado a esta condição clínica

 

  • a) pinçar o dreno por alguns minutos enquanto realiza a troca do sistema de drenagem do dreno de tórax.
  • b) observar a oscilação da câmara de selo d’água.
  • c) fixar a extensão do dreno no berço ou na cama do paciente.
  • d) desprezar o conteúdo drenado a cada 6 horas, sem necessidade de registrar o volume ou aspecto deste.
  • e) manter o sistema de drenagem acima do nível do tórax.

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro - Terapia Intensiva - Órgão: EBSERH - Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora - HU-UFJF - Banca: AOCP - Ano: 2015

Paciente de 80 anos, internado na UTI há 02 dias, apresenta sangramento digestivo baixo (sangramento pelo ânus) com presença de coágulos. Foi avaliado com sonda nasogástrica, cujo aspirado revelou bile clara. Seus sinais vitais estão estáveis. De acordo com o caso clínico, é correto afirmar que

 

  • a) deve ser realizada endoscopia.
  • b) a causa mais provável é neoplasia do cólon.
  • c) a causa mais provável é sangramento por divertículos.
  • d) deve ser realizada colonoscopia.
  • e) em caso de piora hemodinâmica deve ser solicitada tomografia computadorizada do abdômen para localizar o ponto de sangramento.

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro - Terapia Intensiva - Órgão: EBSERH - Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora - HU-UFJF - Banca: AOCP - Ano: 2015

Paciente está internado na UTI em VM (ventilação mecânica), sem sedação há 24 horas e reflexo fotomotor ausente. A fisioterapeuta, na aspiração, observou que não havia estímulo, e comunicou a enfermeira e o médico. Diante desse caso, qual é a conduta a ser realizada?

 

  • a) Extubação.
  • b) Iniciar sedação.
  • c) Comunicar a família e iniciar o protocolo de Morte Encefálica.
  • d) Aguardar 12 horas, e observar se o paciente apresenta estímulo.
  • e) Iniciar protocolo de Morte Encefálica.

Acompanhe o Enfermagem e Saúde