Questões de Neonatologia - Pediatria

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro Assistencial - Órgão: EBSERH/ HC-UFPE - Banca: IDECAN - Ano: 2014

Lactentes com síndrome da rubéola congênita podem eliminar o vírus, até um ano após o nascimento, através de, EXCETO:

 

  • a) Urina.
  • b) Fezes.
  • c) Sangue.
  • d) Lágrimas.
  • e) Secreções nasofaríngeas.

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro Plantonista - Órgão: Prefeitura de Apuiarés/CE - Banca: CONSULPLAN - Ano: 2014

Em relação à saúde da criança, aponte a opção INCORRETA:

  • a) O índice de Apgar no quinto minuto entre 7 e 10 é considerado normal. Apgar 4, 5 ou6 é considerado intermediário e relaciona-se, por exemplo, com prematuridade, medicamentos usados pela mãe, malformação congênita e significa risco para disfunção neurológica. Índices de 0 a 3 no quinto minuto relacionam-se a maior risco de mortalidade e grave aumento de risco para paralisia cerebral. Um baixo índice de Apgar prediz disfunção neurológica tardia.
  • b) É interessante alertar a mãe (e os familiares) de que alguns recém-nascidos a termo são capazes de Ir ao encontro da mama da mãe por si próprios, logo após o nascimento, se colocados no tórax da mãe, reconhecer e mostrar interesse por cores primárias, reconhecer sabores, com preferência por doces, reconhecer e distinguir diferentes cheiros, imitar expressões faciais logo após o nascimento e alcançar objetos.
  • c) Ao se pactuar com os pais o calendário de consultas, deve-se sempre levar em consideração o contexto familiar, as necessidades individuais, as vulnerabilidades e a resiliência. O Ministério da Saúde recomenda sete consultas de rotina no primeiro ano de vida (na 1ª semana, no 1º mês, 2º mês, 4º mês, 6º mês, 9º mês e 12º mês), além de duas consultas no 2º ano de vida (no 18º e no 24º mês) e, a partir do 2º ano de vida, consultas anuais, próximas ao mês do aniversário.
  • d) O procedimento de aprimorar as habilidades de comunicação tem sido considerado uma ação fundamental. Perguntas abertas facilitam a compreensão dos motivos para a consulta, além de permitirem que o profissional explore condições que não tenham sido bem explicadas.

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro Plantonista - Órgão: Prefeitura de Alagoa Grande/PB - Banca: IBFC - Ano: 2014

O termo recém nascido (RN) de risco se refere àquele exposto a situações em que há maior risco de evolução desfavorável, que devem ser imediatamente reconhecidas pela equipe de saúde, pois demandam atenção especial e prioritária. Considerando a Agenda de Compromissos para a Saúde Integral da Criança e a Redução da Mortalidade Infantil, é um critério para identificação do RN de risco:

  • a) Mãe > 20 anos.
  • b) História de morte de criança menor de 10 anos na família.
  • c) Baixo nível socioeconômico.
  • d) RN com baixo peso ao nascer (< 3.200g).

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal - Órgão: EBSERH - Banca: IBFC - Ano: 2013

As melhorias ocorridas na saúde de mães e crianças no Brasil evidenciam como o país evoluiu em termos de sistemas de saúde, condições de saúde e determinantes sociais. Nos últimos 50 anos, o Brasil transformou-se de uma sociedade predominantemente rural para outra, em que mais de 80% da população viveem áreas urbanas; as taxas de fecundidade foram reduzidas de mais de seis filhos por mulher para menosde dois; a educação primária foi universalizada e a expectativa de vida ao nascer aumentou cerca de cinco anos por década. Com relação aos indicadores de saúde materno infantil é correto afirmar:

 
 
 
  • a) Os coeficientes de mortalidade na infância, no Brasil, decresceram acentuadamente nas últimas três décadas. Nesse período, as desigualdades regionais também diminuíram, assim como as disparidades sociais, embora em menor grau.
  • b) Nas últimas três décadas o componente neonatal da mortalidade infantil diminuiu drasticamente, sendo atualmente menor que o componente pós neonatal.
  • c) A prematuridade não se configura como problema de saúde no Brasil. A redução no número de casos ocorreu de forma contínua e progressiva nas últimas três décadas e, atualmente, a taxa está próxima de zero.
  • d) Em contraste com a melhoria dos indicadores relacionados à primeira e quinta Metas do Milênio, os avanços para o alcance da quarta meta – redução de três quartos da mortalidade infantil em relação aos níveis de 1990, tem sido bem mais lentos.

Nível Superior - Cargo: Enfermeiro - Terapia Intensiva Neonatal - Órgão: EBSERH - Banca: IBFC - Ano: 2013

A associação entre hipertensão e gravidez é perigosa, relativamente frequente e responsável por taxas elevadas de morbidade e mortalidade perinatal e materna. Na mulher tal associação pode determinar crises convulsivas, acidente vascular cerebral, edema agudo de pulmão, insuficiência renal aguda e distúrbios de coagulação, entre outros problemas. Considerando o feto/recém-nascido, as síndromes hipertensivas da gestação podem provocar:

 

 

  • a) Macrossomia, sofrimento fetal agudo e crônico e nascimento pós termo.
  • b) Rotura hepática, macrossomia, prematuridade induzida e óbito intrauterino.
  • c) Restrição de crescimento intrauterino, sofrimento fetal agudo e nascimento pós termo.
  • d) Restrição de crescimento intrauterino, sofrimento fetal crônico e prematuridade induzida.

Acompanhe o Enfermagem e Saúde