O que é melhor, correr ou andar ?

Publicado por: - há quase 10 anos
Segundo o Dr. Nabil Ghorayeb, essa tem sido a pergunta mais freqüente dos últimos tempos, vale a pena conversarmos sobre ela. Do ponto de vista médico, qualquer exercício físico é útil, inúmeras pesquisas pelo mundo comprovaram que pelo menos 30 minutos por dia de atividade leve a moderada ou seja caminhadas um pouco aceleradas (100 metros por minuto) na maioria dos dias da semana (quatro a cinco dias) resulta em enorme benefício para o coração. A diminuição do risco de um ataque cardíaco se aproximou dos 35% após cinco anos de exercícios moderados, feitos regularmente. Essa informação científica foi divulgada pelo Ministério da Saúde dos EUA (NIH) em 1996 e foi adotada em vários países. Quero ressaltar que mesmo o andar lento, porém regular, das pessoas com mais de 65 anos e até muito mais, mudou completamente a qualidade e até a quantidade de vida deles. Uma pesquisa que durou 20 anos, feita no HAWAÍ com descendentes de japoneses que lá vivem, e que comparou pessoas com mais de 75 anos ativas com as sedentárias, concluiu que as ativas viviam muito mais e melhor. Desde o ano de 2000 a Federação Mundial de Cardiologia (World Heart Federation) determinou que fosse estimulada a simples "Caminhada" para toda população mundial. Ela não exige treinamento, técnica, equipamentos ou instrutores. Entre nós a Sociedade Brasileira de Cardiologia (www.cardiol.br; www.emforma.com.br), assumiu essa recomendação que atualmente faz parte de suas diretrizes. Quanto ao correr, desde que esteja em boas condições médicas para a sua pratica, poderá ser recomendada. Seus benefícios cardiovasculares são os mesmos da caminhada, que aparecerão em menor prazo (mas não muito menor !!!), porém os riscos de problemas ortopédicos e cardiovasculares aumentarão. Nessa opção convém ter avaliação/orientação médica prévia. Algumas recomendações são convenientes: escolher lugares aprazíveis, longe dos escapamentos, sempre se proteger da insolação com bonés, camisetas de algodão ou outro material que permita suar naturalmente, evitando a forte desidratação provocada por vestimentas de poliéster/nylon etc (e atenção com os trombadões !!!), nunca saia em jejum, coma uma fruta ou algo leve, tome água à vontade e aos goles, antes e durante sua caminhada ou corrida, sempre use um tênis em bom estado. Agora vejamos como o esporte ajudar na manutenção da saúde. Desde criança o fazer exercícios regulares deve ser estimulado e incentivado para ser mantido por toda a vida, e sem dúvida, os esportes coletivos como futebol, basquete, vôlei e outros, trarão maior sociabilização e aprendizado. O esporte individual na criança é bom, porém requer um acompanhamento e orientação mais cuidadosa da família e do técnico, para uma boa formação psicológica. Não são raros maravilhosos jogadores jovens de esporte individual se tornarem medianos jogadores adultos. Até o redor dos 12 anos o esporte em equipe, sem dúvida, traz mais vantagens para o futuro social desse atleta. Uma vitória ou uma derrota será dividida entre todos e nesse ambiente aparecerão os futuros líderes. Mas, atenção, os benefícios para a saúde adquiridos na pratica da atividade física regular de qualquer modalidade, só serão mantidos caso ela não seja abandonada. Não existe "poupança de benefícios do exercício físico" para o futuro. Esportistas jovens que depois se tornaram sedentários, tiveram a mesma porcentagem de doenças cardiovasculares dos nossos criticados sedentários, os que nunca haviam praticado um esporte antes. Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia.

TAGS:

Comentários (0)

Acompanhe o Enfermagem e Saúde