Crianças envolvidas em bullying são três vezes mais propensas ao suicídio, confirma estudo

Publicado por: - há quase 10 anos
Pesquisa realizada no Reino Unido alerta: crianças envolvidas em bullying são três vezes mais suscetíveis a ter pensamentos suicidas e comportamento autodestrutivo relacionado ao suicídio.

 

Bullying é um termo sem tradução que se refere a um fenômeno de agressividade intencional e repetitivo, tão grave que pode levar à morte – seja por suicídio ou assassinato. Um assunto sério que a cada dia chama mais a atenção de autoridades, especialistas e pais. Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Warwick, no Reino Unido, mostra que tanto quem pratica bullying – o agressor ou bullie – como a vítima são três vezes mais propensos a ter pensamentos suicidas ou comportamento autodestrutivo aos 11 anos de idade.

O estudo foi feito com base em dados de uma pesquisa realizada por pesquisadores da Universidade de Bristol, também no Reino Unido, que buscou analisar casos de bullying. Ao todo estiveram envolvidas mais de 6 mil crianças, com idades que variaram dos quatro aos 10 anos. As informações foram colhidas diretamente com as crianças e também com pais e professores.

Em artigo divulgado no periódico Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry, os pesquisadores apontam que as crianças envolvidas em bullying não apenas tinham pensamentos suicidas ou comportamento autodestrutivo como eram três vezes mais propensas a considerar o suicídio ou mesmo a planejá-lo.

O que chamou a atenção dos autores é que estes resultados não foram encontrados apenas entre as vítimas, mas também entre os agressores. Entre aqueles que eram apenas agressores e nunca sofreram bullying, este tipo de pensamento também era comum, apesar de os dados não serem tão consistentes. Já entre as crianças que sofriam com este tipo de violência durante um período maior, as chances eram até seis vezes maiores.

Para o psicólogo Dieter Wolke, um dos autores do estudo, a pesquisa confirma o risco para o suicídio relacionado ao bullying. “O comportamento autodestrutivo relacionado ao suicídio já é um problema sério nesta faixa-etária, atingindo quase 5% das crianças. A prevenção contra o bullying deve ter início na educação infantil, assim poderíamos evitar a exposição crônica a esta prática, tão prejudicial”, finaliza.

 

Fonte: O que eu tenho?

TAGS: bullying

Comentários (0)

Acompanhe o Enfermagem e Saúde