PRÊMIO ANNA NERY 2021 – PRESIDENTE DO COREN-RJ PARTICIPOU DA MESA SOLENE

Publicado por: - há 5 meses

 

Realizado na manhã desta sexta-feira (28), de forma remota, ao vivo e com transmissão online, o Prêmio Anna Nery 2021 (em sua oitava edição) focou em homenagear neste ano aos profissionais de Enfermagem que estão desde o início da pandemia na linha de frente de combate à Covid-19. Promovido pelo mandato da deputada Enfermeira Rejane, o Prêmio Anna Nery Nery foi instituído pela parlamentar ainda em sua primeira legislatura, sempre com o objetivo de homenagear os profissionais que se dedicam e se destacam pela contribuição ao desenvolvimento da Saúde e à categoria da Enfermagem no Rio de Janeiro.

Os agraciados de 2021 são: a técnica de Enfermagem Mônica Cunharski, que atua diretamente na assistência a pacientes com Covid-19 da rede pública e privada do Estado do Rio de Janeiro; enfermeira Chrystina Barros, integrante do Grupo Técnico de Enfrentamento à Covid-19 da UFRJ; a enfermeira Theia Maria Forny Wanderley Castellões, coordenadora de enfermagem das unidades de terapia intensiva do hospital Américas Medical City; enfermeira Lidiane de Souza Melo, idealizadora da técnica de conforto por meio de “mãozinhas aquecidas”; enfermeira Daniela da Silva Araújo Basílio, superintendente de enfermagem do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, unidade de referência de Covid-19, no Rio; enfermeira Solange Aparecida Caetano, coordenadora parlamentar do Fórum Nacional da Enfermagem; e, in memoriam, o técnico de enfermagem Jorge Luiz de Lima, primeiro profissional da categoria a morrer no Rio, em decorrência do coronavírus.

A mesa solene recebeu, entre outras personalidades e autoridades da Enfermagem fluminense, a presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ), Lilian Behring. Em sua fala, a presidente do Coren-RJ enfatizou a importância da representatividade política da deputada Enfermeira Rejane no desafio diário da Enfermagem para sobreviver à situação provocada pela pandemia. “Somos a Enfermagem que mais morre no mundo, e o Rio de Janeiro é o segundo estado no Brasil em mortalidade da categoria”, desabafou a enfermeira. Lilian Behring citou ainda o PL 2564/2020, que regulamentaria as 30 horas semanais e o piso salarial nacional, e que mesmo com toda a dedicação e importância da enfermagem, sequer teve prioridade para a sua votação do Senado.

A presidente Lilian Behring encerrou a sua fala afirmando estar honrada por representar, através do Coren-RJ, os cerca de 306 mil profissionais de enfermagem inscritos, mas que cada um desses trabalhadores também representem o Coren-RJ em suas instâncias, para que todos juntos consigam fazer uma enfermagem melhor, com mais justiça, e que sobreviva à pandemia.

TAGS: COREN-RJ

Comentários (0)

Acompanhe o Enfermagem e Saúde