Câncer do colo do útero: o câncer que poderia não existir

Publicado por: - há 3 meses

Ao contrário de outros tipos de câncer, o do colo do útero pode ser evitado. Com foco na prevenção e combate a este tipo de câncer, o mês de janeiro se veste de verde para atentar a população de como se cuidar. A doença representa o terceiro tipo de tumor mais frequente em mulheres, porém é um dos tumores femininos com maior chance de prevenção. Uma das formas de preveni-lo é com a vacina contra o HPV (Papiloma Vírus Humano), principal fator de risco para a doença, responsável por mais de 70% dos casos diagnosticados no Brasil. Outra forma importante de prevenção, é a realização do exame Papanicolau que ajuda na identificação de alterações em fase inicial, possibilitando a tomada de decisões antes da evolução para um câncer.

Dentre as principais medidas de prevenção ao câncer de colo uterino estão a vacinação, a proteção durante as relações sexuais e a realização de exames preventivos. O Papanicolau também é o principal exame para diagnóstico. Ele detecta a doença ou não da doença antes que os sintomas de manifestem. A coleta do exame por enfermeiros é regulamentada pela Resolução Cofen 385/2011.

As diretrizes do Ministério da Saúde para controle do câncer do colo do útero, o segundo tipo de câncer mais comum entre pacientes do sexo feminino no país,, estabelecem que o exame ginecológico preventivo deve ser feito até os 64 anos de idade, com repetição a cada três anos, caso os dois primeiros resultados anuais tenham sido considerados normais.

Confira os principais mitos e verdades sobre o câncer de colo do útero e o HPV,

Fonte: Oncoguia e Ministério da Saúde

TAGS: cofen

Comentários (0)

Acompanhe o Enfermagem e Saúde