Coren-SP lança 3ª sondagem sobre violência contra profissionais de Enfermagem

Publicado por: - há 2 meses

Presidente do Coren-SP em coletiva de imprensa

Uma sondagem recente do Conselho Regional de São Paulo (Coren-SP) com 4.107 profissionais de Enfermagem do estado mostrou dados alarmantes sobre violência ocorrida nas unidades de Saúde. Dentre os respondentes da sondagem, 76,7% declararam ter sofrido violência nos últimos três anos durante o exercício profissional – 46,8% declararam ter sido violentados mais de uma vez neste período.

“É inadmissível para nós pensar que essas agressões estão acontecendo. Isso tem levado a comunidade da Enfermagem a adoecer, temos inúmeras licenças, afastamentos, burnout e outras doenças”, disse a presidente do Coren-SP, Renata Pietro, durante coletiva de imprensa de lançamento da sondagem, realizada na sede da autarquia, na manhã desta terça-feira (4/9).

Com a presença de profissionais de Enfermagem que já foram vítimas de agressão, como os enfermeiros Maria Lucia Bortolucci e Wagner Batista e a auxiliar de Enfermagem Emilly Santos, e de representantes da imprensa, a coletiva serviu como alerta à sociedade para a questão da agressão.

Os dados da sondagem foram mostrados pelo segundo-secretário do Coren-SP, Paulo Cobellis, que destacou o fato de 66,3% dos respondentes terem afirmado receberam agressões por parte de pacientes e 60,1% por parte de parentes de pacientes (essa questão admitiu mais de uma resposta).

Também chama a atenção o fato de 77,1% dos profissionais agredidos não terem feito qualquer tipo de denúncia. O motivo dado para isso foi a falta de apoio da instituição (55,8% dos casos) e sensação de impunidade (55% dos casos).

“É preciso criarmos mecanismos de denúncia para que os casos sejam oficializados. Com toda a certeza temos uma subnotificação dos casos de violência a profissionais de Enfermagem. Isso tem que acabar”, sentenciou Cobellis.

Ato – Depois da coletiva de imprensa, conselheiros do Coren-SP, profissionais de Enfermagem e funcionários fizeram um ato contra a violência na porta da autarquia. Vestindo máscaras e levantando cartazes, eles pediram o fim das agressões que acometem os enfermeiros, obstetrizes, técnicos e auxiliares de Enfermagem, além de outros profissionais da Saúde.



Fonte: Coren-SP

TAGS: cofen

Comentários (0)

Acompanhe o Enfermagem e Saúde