Fiscalização flagra medicamentos vencidos e superlotação em Alagoas

Publicado por: - há 5 meses

Fiscalização flagra superlotação no HGE.

Medicamentos vencidos, superlotação, falta de profissionais. Essas foram algumas das denúncias constatadas no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, durante o primeiro dia da megaoperação realizada pela Força Nacional de Fiscalização do Sistema Cofen (FNIS), solicitada pelo Conselho Regional de Enfermagem de Alagoas (Coren/AL), com apoio do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL).

A operação teve início nessa segunda-feira (4) e vai até a sexta-feira (8). A ação irá verificar condições de assistência de enfermagem que colocam em risco a população, além de irregularidades. Serão 12 instituições de grande porte fiscalizadas na capital e no agreste de Alagoas. Nesta terça-feira (5), o alvo da megaoperação é o Hospital Universitário (HU), na Cidade Universitária, parte alta de Maceió.

De acordo com a assessoria do Coren/AL, durante a fiscalização no HGE foram encontradas comidas e bebidas em refrigeradores que deveriam armazenar medicamentos. Remédios vencidos também foram encontrados.

Além de um quadro de superlotação, a fiscalização flagrou dois bebês em uma mesma maca. Também foi constatado que técnicos de enfermagem estavam realizando funções de enfermeiros, devido à falta de profissionais no maior hospital do Estado.

Ainda segundo a assessoria do Coren/AL, hospitais de Arapiraca, Agreste alagoano, também foram e serão fiscalizados. Mas ainda não se tem um balanço de denúncias constatadas. A assessoria crê que só na sexta-feita (8), último dia das fiscalizações, será divulgado. O portal OP9 tentou entrar em contato com a assessoria do HGE e aguarda uma resposta com o posicionamento do hospital.

A megaoperação – “O objetivo da Força Nacional de Fiscalização é assegurar que todos os regionais tenham condições necessárias para cumprir sua missão de fiscalizar o exercício profissional de Enfermagem, garantindo condições de assistência”, explica o presidente do Cofen, Manoel Neri.

A FNFIS realizou, desde 2015, ações em diversos estados brasileiros, incluindo Maranhão, Acre, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rondônia e Minas Gerais. Foram fiscalizadas 99 instituições e notificadas 462 irregularidades. As instituições fiscalizadas apresentaram déficit de profissionais, o que compromete a qualidade da assistência. Foram constatadas, ainda, falta de materiais básicos, presença de medicamentos vencidos e diversas irregularidades no exercício profissional, acarretando riscos à população.

Fonte: Ascom - Cofen

TAGS: cofen

Comentários (0)

Acompanhe o Enfermagem e Saúde