FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM: Técnicas Instrumentais para o Exame Físico (Técnicas Propedêuticas)

Publicado por: - há mais de 8 anos

 

O Exame físico compreende da entrevista e as técnicas propedêuticas (inspeção, palpação, percussão e ausculta).

Algumas observações são importantes para uma execução favorável. Tais como observar a posição do paciente, solicitar sua colaboração, estabelecer uma iluminação adequada, respeitar a privacidade do paciente sempre que possível, realizar o exame no sentido céfalo-caudal e evitar interrupções durante o exame.

A primeira avaliação a ser realizada foi a inspeção, que utiliza a visão e o olfato. Neste caso, essa avaliação pode ser de forma estática (observando o paciente em repouso) ou dinâmica, (observando os movimentos corporais).

Mostrou-se que é importante analisar o estado nutricional, higienizacão do paciente, locomoção, postura, dados antropométricos, cor da pele, expressão facial, SSVV, etc. A avaliação da pele deve ser feita de forma minuciosa e bem rigorosa, pois ela pode identificar o aparecimento de alterações no organismo ou mesmo patologias graves numa simples inspeção.

Na palpação, o tato e a audição são os sentidos a ser utilizados. Essa avaliação segue de encontro com a inspeção, confirmando o que havia sido observado. Várias são as técnicas utilizadas para a avaliação e suas realizações dependem muito do local de atuação. As principais são: palpação com mão espalmada, palpação com o dorso da mão, fricção com algodão, palpação bimanual, em pinça, digito pressão, etc., podendo ser de forma profunda ou superficial.

Através dessa avaliação podemos perceber a presença de nódulos, alterações na textura da pele, temperatura, presença de corpos estranhos. Em superfícies ósseas, através da compressão digital é possível detectar a presença do sinal de Gorget, que ocasiona uma depressão na região comprimida, mostrando um comprometimento da circulação naquela região.

Na percussão, o golpeamento é utilizado para delimitar órgãos, observar as características do som (intensidade, timbre e tonalidade) e perceber a presença de líquidos em cavidades.

O som estabelecido pela percussão é influenciado pela espessura da parede, onde a presença de uma parede expessa de gordura pode dificultar a avaliação. Os sons podem ser timpânicos (regiões fechadas e com ar), maciço (estruturas sem ar) e submaciço (regiões densas, com pouco ar), sendo que a percussão se da de forma direta (diretamente na região a ser percutida) ou indireta (onde o dedo médio de uma das mãos pressiona a região e dedo médio da outra mão golpeia a falange distal).

O último procedimento, a ausculta, utiliza a audição com intuito de avaliar os sons e ruídos produzidos pelos órgãos e observando o aparecimento de alterações. Esses sons são provenientes da vibração das estruturas entre sua origem e a superfície corporal um exemplo desses sons são as bulhas cardíacas, ruídos respiratórios e ruídos hidroaéreos.

O Exame físico compreende no levantamento das condições globais do paciente, tanto físicas como psicológicas, no sentido de buscar informações significativas para a enfermagem que possam subsidiar a assistência a ser prestada ao paciente. Os passos propedêuticos a serem empregados no exame físico são inspeção, palpação, percussão e ausculta, passos estes que devem ser realizados a partir da utilização dos sentidos da visa, audição, tato e olfato. Esses sentidos podem ser ampliados começando-se da utilização instrumental como estetoscópio, olftamoscópio, fita métrica, termômetro, espátulas, etc. (BARROS, 2002).

Segundo Posso (2002), a inspeção é o ato de observar e inspecionar, sendo o método em que se utiliza o sentido da visão na avaliação do aspecto, cor, forma, tamanho e movimento das diversas áreas corporais. No primeiro contato com o paciente faz-se uma inspeção geral em que o enfermeiro observa o estado aparente de saúde, nível de consciência, estado nutricional, hidratação, humor e tipo de fala.

O conhecimento das características da superfície corporal, assim como a anatomia topográfica, permitirão ao estudante reconhecer eventuais anormalidades durante a inspeção. Por este motivo, e com a finalidade de educar a visão, deve ser dada ênfase ao estudo das lesões elementares da pele (PORTO, 2004).

Palpação é a utilização do sentido do tato com o objetivo de explorar a superfície corporal - palpação superficial - e os órgãos internos – palpação profunda. A palpação confirma dados da inspeção e permite a obtenção de novos indícios como alteração de textura, tamanho, forma, consistência, sensibilidade (tátil térmica e dolorosa), elasticidade, temperatura, posição e característica do órgão, resistência muscular, presença de massas e outros (POSSO, 2003).

Percussão é o golpeamento leve de uma área a ser pesquisada, utilizando-se a parte ulnal dos dedos: percussão digito - digital, percussão com a borda cubital da mão ou com instrumento próprio, originado vários sons.

O som gerado na percussão tem característica própria quanto a intensidade, timbre e tonalidade, refletindo a densidade da superfície subjacente. Quanto mais densa a área percutida, maior, menos discernível e mais breve será o som (POSSO, 2003).

Ausculta consiste na aplicação do sentido da audição para ouvir sons ou ruídos produzidos pelos órgãos. A vibração sonora pode ser captada diretamente pelo ouvido do examinador – ausculta direta – ou com o auxilio do estetoscópio - ausculta indireta.

Os tipos de som variam de acordo com o órgão auscultado (por ex.pulmão: murmúrios vesiculares; coração: bulhas cardíacas; intestino: ruídos hidroaéreos). Os sons não-fisiológicos decorrentes de condições patológicas (secreções pulmonares, esteatose, de válvulas cardíacas) ou produzidos por interferências extremas (atrito de roupas) são denominados ruídos adventícios.

 

Referências

BARROS, A. Anamnese e exame físico: avaliação diagnóstica de enfermagem no adulto. Porto Alegre: Artmed, 2003. 272p.

PORTO, C, C. Exame Clínico: Bases para a prática médica. 5º ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. 443p.

POSSO, M. Semiologia e Semiotécnica de enfermagem. 3º ed. São Paulo: Atheneu, 2003.181p.

TAGS: exame físico

Comentários (1)

Newvan siqueira albuquerque
Newvan siqueira albuquerque Criado em 09/06/2017, 16:04h

top muito bom.


Acompanhe o Enfermagem e Saúde