Informática em Saúde: possibilidades e limites

Prezados Acadêmicos do 4o período das FIJ,solicito que cada grupo insira no forum o resumo do seu trabalho, com no máximo 500 palavras, para a complementação da avaliação da 1a AV.

Avatar_short_m Bianca Dargam em 03/05/2011 20:05:27

2 Resposta(s):

Kesia
Kesia Criado em 07/05/2011, 09:49h

SISTEMA DE INFORMAÇÃO EM ENFERMAGEM
Informática em enfermagem é a área que combina ciência da computação, ciência da informação e ciência de enfermagem. Os sistemas de informação hospitalar e os sistemas de informação em enfermagem fazem parte de um todo, no qual o centro e o interesse único devem ser a melhoria do atendimento ao paciente. Os sistemas de informação em enfermagem são essencialmente práticos, isto é, seu desenvolvimento e implantação devem atender as necessidades dos profissionais que atuam na assistência direta ao paciente. CONCEITO E FUNÇÃO: Saba & McCormick (1986) definem sistemas de informação em enfermagem como sistemas de computadores que coletam, armazenam, processam, recuperam, mostram e comunicam a informação necessária, em tempo real. Sistema de informação em enfermagem é, portanto, um software que automatiza o processo de enfermagem, auxiliando desde o levantamemto inicial das necessidades do paciente até a avaliação do cuidado prestado, incluindo toda a documentação feita no período. DESENVOLVIMENTO E CARACTERÍSTICA: Uma das primeiras perguntas que podem surgir aos profissionais da área é: como iniciar ou o que fazer para desenvolver um sistema em enfermagem? Autores como Saba e cols.(1994), Hannah(1990) e o Centro de Gerenciamento da Informação em Saúde(CHIM,1994) recomendam algumas etapas que devem ser seguidas por aqueles que iniciam a construção de um sistema de informação em enfermagem. São elas: Planejamento; Análise; Desenvolvimento; Implantação; Avaliação e Manutenção. Existem ainda, com relação ao cuidado direto aos pacientes, alguns outros instrumentos que podem ser desenvolvidos e incorporados aos Sistemas de Informação em Enfermagem. Por exemplo: Avaliação da qualidade do cuidado prestado.; Classificação do grau de dependência de enfermagem que cada paciente internado possui.; Geração de inventários.; Planos de alta hospitalar. CONCLUSÃO: Podemos e devemos estar informados quanto à sofisticação que a indústria de computadores coloca no mercado, sem, porém, esquercermos alguns entraves básicos que a profissão precisa solucionar para entrar de forma ampla e definitiva na era da informática e fazer dela seu recurso chaves para o atendimento com qualidade à saúde da população.
Grupo: Alfredo, Joice, Josué, Kesia e Lusinéia.


luana carneiro da silva
luana carneiro da silva Criado em 07/05/2011, 16:22h

Sistemas de Informação Hospitalar
A informação é hoje o maior recurso de que se dispõe para alcançar o crescimento e desenvolvimento e com isso melhorar o futuro.
O acesso a informação corresponde a um alto custo humano e financeiro, mas em um ambiente hospitalar, onde o volume de informações cresce a cada dia, recuperar um prontuário pode significar um enorme gasto de tempo, e o mesmo pode significar uma queda na qualidade de atendimento ao paciente e até mesmo, uma tomada de decisão relativa ao tratamento ou assistência errônea ou ineficiente, então os hospitais estão sendo obrigados a investir nesses sistemas, pois se não comprometerão sua existência.
Os primeiros sistemas introduzidos nos hospitais foram desenvolvidos usando um computador central, localizado em um setor especial, então conhecido como Centro de Processamento de Dados (CPD) e com terminais ligado a está máquina central e distribuídos entre os diversos setores do hospital, foi então denominado Sistema Central.
Por volta dos anos 70, surgiu o Sistema Modular, onde diferentes setores do hospital possuíssem o seu próprio computador para atender suas necessidades específicas, ou seja,uma ou mais máquinas são dedicadas ao hospital e distintos programas aplicativos são desenvolvidos, de modo a desempenharem tarefas específicas, e uma estrutura comum previamente estabelecida, define a interface de comunicação com o usuário, permitindo assim que os dados sejam compartilhados entre diferentes módulos instalados.
Por volta dos anos 80, surgiu o Sistemas Distribuídos, que são baseados na tecnologia de comunicação em rede.
A rede de processamento de dados é uma maneira de permitir que vários usuários de um equipamento o utilizem sem, teoricamente, perceberem a presença dos outros.
Função e participação do enfermeiro
Com tantas informações, vindas das diversas fontes, privilegia o corpo da enfermagem, pois é o profissional que tem mais contato com os pacientes, então fica claro que os hospitais devem entender que o cuidado dado ao paciente é o seu principal negócio, os enfermeiros são os provedores primários desta atividade, sendo o mais natural, que o enfermeiro tenha acesso a todas as informações.
Quando a enfermagem não tem participação no processo de informação hospitalar, a instituição inteira sofre serias consequências, necessario que o profissional de enfermagem participe de cada estágio do processo de informação hospitalar, ou seja, do planejamento até a avaliação.
Os sistemas de informação irão revolucionar o processo de comunicação na área da saúde e trarão mudanças no mercado de trabalho da enfermagem.
A informática na enfermagem apresenta uma grane oportunidade para os profissionais, em termos de novas especialidades, de uma nova possibilidade de desenvolver atividades nesta área.
Fica evidente que o enfermeiro ocupa papel importante no desenvolvimento e implantação dos sistemas de informação hospitalar.
Então temos que nos capacitar cada vez mais para essa área, pois é uma nova área de trabalho que se abre e que cresce cada vez mais rápido, onde a enfermagem é o ponto central para a obtenção do sucesso.Grupo:Andrezza Paola Lisboa, Luana da Silva,Taylla Regina Coelho.


Acompanhe o Enfermagem e Saúde